Capa

Médico por vocação, apaixonado por opção

Vida de Médico - Cláudio Teloken

12.07.2019  |  83 visualizações

 Do começo, em busca da magistratura, dos ensinos absorvidos no curso (não concluído) de Filosofia na Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), até as cirurgias nos hospitais e consultórios, o médico urologista Cláudio Teloken foi estabelecendo seu caráter e sua personalidade. Se a medicina apareceu em sua vida foi porque o destino, desde criança, já havia lhe preparado para isso.

"Tantas foram as vivências em minha carreira, que, quando me sentei para escrever este texto, ensejou uma ebulição turbulenta entre os fatores que determinaram minha atividade profissional com as atividades paralelas, ligadas às minhas paixões, das quais muito me orgulho. Para mim, a medicina nasceu de maneira automática, pois, no vilarejo onde nasci não havia médico e o único indivíduo que fazia injeções endovenosas era meu pai, dedicado ao comércio. Cabia a mim, ser o guardião de velhas seringas de vidro BD, que eram fervidas para cada paciente, juntamente com as agulhas, em uma caixa metálica, com chamas de álcool, ativadas com isqueiro de querosene, e que, até hoje as mantenho como ‘troféu’. Este foi o princípio de uma relação com a medicina, mas que também se dividiu em diversos âmbitos acadêmicos.

Entretanto, não fora a varredura psicanalítica, como explicar a primeira paixão, o magistério? Sim, certamente emanou do exemplo materno, que tanto me ensinou. Cursando filosofia na UFRGS (curso não concluído,) envolvi-me em ética, bioética e nas disciplinas de psicologia do Prof. Juan Moschera. Como bolsista, secretariava a comissão de carreira de Medicina da UFRGS, sempre ao lado do Prof. David Zimmermann, que me instigou a envolver-me na medicina. Lecionei no Curso de Direito da PUC, no pós-graduação de Sexologia Clínica e no Curso de pós-graduação de reprodução humana da PUC, no curso de pós-graduação de Bioengenharia Santa Casa e eventualmente no EBSERH (Hospitais Universitários Federais).

Na atualidade e já há 25 anos, sou Regente da disciplina de Urologia do Curso de Medicina da UFCSPA (Universidade Federal Ciências da Saúde Porto Alegre) e controlo in loco na PUC o estágio em reprodução humana de alguns alunos da Biomedicina também da UFCSPA. Muito me orgulho, ao olhar para trás e ver aquele menino das seringas, sendo hoje este experiente médico, dentro do ambiente universitário, compartilhando conhecimento e que segue tendo na medicina uma significativa parte da vida.”

Fora do consultório: Música e automobilismo

O médico urologista Cláudio Teloken dispõe de dois grandes hobbys, quando não está consultando. Para ele, atividades extra-consultório auxiliam a minimizar o sofrimento e as angústias que são vividas ao longo da atividade médica e preservam a saúde física e mental. Um deles são as competições de alta velocidade, que segundo ele, são "para tratar a adrenalina exacerbada, que exige precisão, concentração e atitudes imediatas frente às intempéries", comenta. O segundo trata da paixão e do encantamento por músicas e por tocar seu clarinete. "Mesmo que toque mal (risos), me afasta das agruras e da aflição", conclui.

O médico compartilhou alguns registros dele com suas paixões.

https://photos.app.goo.gl/Wh2mF6vv1qQXfoHv5

Edição: Vítor Figueiró
Coordenação: Marcelo Matusiak

 

  • Cláudio Teloken
    (Foto: Fertilat)

  • Cláudio Teloken
    (Divulgação)

Leia também...

13.08.2019

26º Porto Alegre em Cena propõe reflexão sobre a humanidade

AMRIGS em ação

01.08.2019

Empreendedorismo na veia

Associativismo

25.07.2019

Cobranças e rotina estressante desafiam a saúde mental dos trabalhadores

Tema foi abordado no Ciclo de Palestras AMRIGS, dedicado ao Julho Violeta

15.07.2019

Bagé recebeu palestra sobre Agrotóxicos e os Riscos à Saúde

Institucional - Caravana AMRIGS

Entre em contato