Capa

SPRS Press Releases

Um olhar atento para doenças que crescem entre as crianças

Retomada dos casos de sarampo e aumento do número de casos de otite foram citados no penúltimo dia do Congresso Brasileiro de Pediatria

11.10.2019  |  546 visualizações

Mudanças comportamentais e sociais que impactam na saúde das crianças. Entre os diversos temas abordados na programação do Congresso Brasileiro de Pediatria que reúne cerca de sete mil pediatras em Porto Alegre, chamou a atenção casos de doenças que precisam um olhar atento dos profissionais e dos pais. O evento é uma realização da Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP) e da Sociedade de Pediatria do Rio Grande do Sul (SPRS).

O caso mais evidente foi o ressurgimento do sarampo no Brasil. O principal recado enfatizado em todos os momentos é que os pediatras são fundamentais na orientação para os pacientes.

Temos uma baixa cobertura vacinal, hoje, proporcionadas por motivos como a falsa sensação de segurança com a visão equivocada de que essas doenças não existem, medo dos efeitos adversos da vacina, as fake news e a falta de vacina na rede pública - afirma o membro do Comitê de Infectologia da Sociedade de Pediatria do Rio Grande do Sul (SPRS), Juarez Cunha. 

O aumento do número de casos de otite também traz preocupação entre os médicos. Uma das razões apontadas para isso, é o fato de bebês estarem sendo colocados muito cedo na escola. Segundo a pediatra, Berenice Dias Ramos, a otite é uma doença de criança pequena e normalmente acompanha um resfriado. Sabe-se que em 60% dos casos não há dor e nem febre e o problema nesses casos é que enquanto ela está assim, tem a audição prejudicada.

- Nos primeiros anos de vida o bebê precisa escutar muito bem porque é quando está aprendendo a falar. Temos de ficar atentos para assegurar que quando aconteça um ataso na fala, seja examinado o ouvido, através de consulta com um pediatra ou otorrino-pediatra. Existem letras que chamamos de fonemas e que são muito parecidos como o “f” e o “v”, o “p” e o “b” o “t” e o “d” e as crianças com otite têm dificuldades de perceber essas diferenças e na hora de se alfabetizar acabam fazendo essas trocas – explicou.

Cuidados com o recém-nascido na UTI Neonatal também fizeram parte da programação, ao longo da sexta-feira (11/10). A pediatra, Rita de Cassia Silveira Rita, chamou a atenção para a importância dos cuidados com a saúde bucal especialmente em bebês graves que ficam por um longo período na UTI Neonatal.

- Como eles não podem se alimentar pela boca, em função da gravidade, acabam recebendo alimentação por sonda. Se é um bebê muito prematuro lesa o céu da boca que chamamos de pálato. Então, o pediatra e as famílias precisam estar atentos à isso não deixando de examinar a boca, fazendo um bom acompanhamento e higiene oral. Também reforçamos que isso não é só dentro da UTI. Após a alta, no acompanhamento ambulatorial, consultórios médicos ou mesmo em casa é fundamental atentar para a saúde bucal para evitar doenças infecciosas, para promover o aleitamento materno e para que esse bebê venha a desenvolver a fala adequadamente. Os odontopediatras são grandes parceiros nossos nesse trabalho - explicou.

Durante a manhã a programação também contou com debates de temas como emergências cardiológicas, tuberculose, infecção urinária, reumatologia, fibrose cística, calendário vacinal, entre outros. Durante a tarde as aulas abordaram problemas comuns em ambulatório pediátrico, imunodeficiências, distúrbios da diferenciação sexual, doenças reumáticas, cardiologia pediátrica e esportes e manejo do trauma, entre outros.

Serviço:

39º Congresso Brasileiro de Pediatria (CBP)

Local: Centro de Eventos da FIERGS

Data: De 9 a 12 de outubro (de quinta-feira a sábado)

https://www.sbp.com.br/especiais/congresso-brasileiro-de-pediatria/

Redação: Marcelo Matusiak
Coordenação: Marcelo Matusiak

  • Palestras no auditório
    (Marcelo Matusiak)

  • Médico Juarez Cunha
    (Marcelo Matusiak)

  • Casos de otite preocupam
    (Marcelo Matusiak)

  • Berenice Dias Ramos
    (Marcelo Matusiak)

  • Debates
    (Marcelo Matusiak)

Leia também...

07.07.2020

Atividade física para crianças é ainda mais importante na pandemia

Sociedade de Pediatria do Rio Grande do Sul (SPRS) reforça importância do estímulo de pais para que as crianças se mantenham ativas

03.07.2020

Alterações no Código de Trânsito Brasileiro não contemplaram medidas de proteção para crianças

Sociedade de Pediatria do Rio Grande do Sul (SPRS) alerta que itens importantes ficaram de fora das mudanças aprovadas pela Câmara dos Deputados

15.06.2020

Pais devem fazer uma interpretação equilibrada e não midiática sobre a pandemia

Diálogo com as crianças e adolescentes é fundamental para estabelecer os cuidados necessários na prevenção da pandemia, sem que isso afete a saúde mental de todos

08.06.2020

Nas UTIs Neonatais e maternidades, visitas restritas e cuidados extremos

COVID-19 mudou a rotina dos nascimentos de bebês, tanto para os nascidos a termo como para os prematuros

Entre em contato