Capa

SPRS Press Releases

Em que casos a água salgada ajuda e em que casos a água salgada pode prejudicar um ferimento?

Orientação aos pais nessa época de veraneio nas praias é fundamental para evitar transtornos com as crianças

24.02.2020  |  790 visualizações

Na temporada de verão não há criança que não goste do contato com a água do mar. O benefício vai além do refresco para as altas temperaturas. A água salgada, por ser rica em diferentes sais minerais e alguns metais, ajuda a cicatrizar a pele e causa sensação de bem-estar.

Porém, alguns cuidados são indispensáveis. O diretor científico e diretor do Programa de Reanimação Neonatal da Sociedade de Pediatria do Rio Grande do Sul (SPRS), Marcelo Pavese Porto, destaca que quando há um ferimento na pele da criança, a água salgada não é a mais indicada.

“A água do mar não é a ideal, mas se for a que estiver disponível para, pelo menos, enxergar um ferimento, ela pode ajudar. Corte pequeno e não profundo lava-se com água e soluções antisépticas, mas o principal é usar água e sabão”, explica.

Por outro lado, o médico reforça os cuidados com as “mãe d´água”, ou água-viva. Nestes casos o indicado é não lavar com água doce e sim usar a própria água do mar.

“Quando acontecerem as queimaduras dê preferência à água do mar. Se for uma extensão pequena pode ser usado vinagre, porém se é algo mais extenso não adianta. Coloque água do mar e leve para o serviço de emergência para avaliação médica”, completa Marcelo.

O médico pediatra e diretor da Sociedade de Pediatria do RS, Sílvio Baptista, reforça que devem ser retirados com cuidados os tentáculos que por ventura ainda estejam em contato com a pele.

“É indicado usar algo pequeno como um palito de picolé ou cartão de banco para retirar esses resíduos. É preciso lembrar de proteger, a mão de quem está retirando. No caso de edemas, e/ou aparecimento de outros sintomas (dor intensa, febre, falta de ar) o paciente deverá ser levado ao atendimento médico”, explica Sílvio.

Redação: Marcelo Matusiak

Coordenação: Marcelo Matusiak

 

  • Beira da Praia exige cuidados
    (Marcelo Matusiak)

Leia também...

25.03.2020

O que fazer com as crianças?

Sociedade de Pediatria do Rio Grande do Sul incentiva a criação de rotina e uso da criatividade para que filhos passem pelo período de isolamento social da melhor maneira possível

24.03.2020

Adiado para setembro XII Congresso Gaúcho de Atualização em Pediatria

Encontro é realizado pela Sociedade de Pediatria do Rio Grande do Sul (SPRS)

17.03.2020

Crianças são de baixo risco para coronavírus mas transmissoras do vírus

Sociedade de Pediatria do Rio Grande do Sul recomenda que evitem o contato das crianças sintomáticas com avós e avôs

06.03.2020

O Mico Preto da Saúde

Nota Sociedade de Pediatria do Rio Grande do Sul - Fechamento do Serviço Materno-Infantil do Hospital São Lucas

Entre em contato