Capa

Menos dor e recuperação mais rápida

Especial

01.04.2020  |  142 visualizações

A evolução constante da medicina revolucionou o jeito com que os pacientes são tratados e um dos maiores benefícios ao longo dos últimos anos são procedimentos minimamente invasivos. Eles estão presentes em diversas especialidades e garantem ao paciente menos dor e uma recuperação muito mais rápida em comparação com o que ocorria no passado. O médico cirurgião do aparelho digestivo e diretor de Comunicação da Associação Médica do Rio Grande do Sul (AMRIGS), Juliano Chibiaque, comenta que os procedimentos menos invasivos existentes hoje, tiveram uma disseminação importante no final da década de 80 e início da década de 90. Um dos mais importantes avanços foi a videolaparoscopia.

"É algo que implica em um menor tempo de recuperação para o paciente e em uma melhor visualização das estruturas que serão abordadas por parte do médico. A partir disso é possível intervir com mais segurança e ter uma resolução dos problemas aumentada", afirma.

Os procedimentos endovasculares também se destacam pela adaptação e abrangência. Cateterismo e cirurgias endovasculares passaram a ter uma recuperação muito satisfatória para os pacientes com um tempo de recuperação bem reduzido.

Cirurgia Robótica

A cirurgia robótica é mais um avanço importante para a medicina e que contempla a ideia de cirurgia minimamente invasiva. Lesões que antes eram inacessíveis à mão humana, cada vez mais estão sendo superadas com o processo de robotização. A grande questão é a acessibilidade financeira disso.

"A cirurgia robótica é uma realidade e, sem dúvida, o caminho será esse no futuro. São médicos cirurgiões que operam, porém, com um detalhamento técnico muito maior do que os métodos tradicionais", completa Juliano.

Videolaparoscopia

De acordo com o médico cirurgião do aparelho digestivo, Gerson Junqueira, as complicações abdominais representam aproximadamente 10% de todos os casos que chegam às emergências dos hospitais e o uso da tecnologia através de procedimentos com videolaparoscopia tem sido fundamental para diminuição do sofrimento do paciente.

“É uma operação cada vez mais utilizada no tratamento do abdômen agudo em seus diversos tópicos. Trouxe para a medicina uma gama maior de soluções para problemas mais complexos ou até mais simples, menos invasivo para os pacientes e que torna possível o retorno mais rápido dele para suas atividades normais”, esclareceu.

Câncer de Mama

Considerado como o câncer que mais atinge a população feminina em todo o mundo, o câncer de mama é outro exemplo importante do ganho que se obteve ao longo dos anos com a possibilidade de usar técnicas menos invasivas. O diagnóstico precoce permite que o paciente trate de forma menos invasiva e menos agressiva. Às vezes, apenas uma cirurgia é o suficiente. Isso diminui o tempo de internação e torna possível inclusive diagnosticar as lesões precursoras do câncer, as que ocorrem antes de ele se tornar maligno.

Dermatologia

A realização de procedimentos menos invasivos é destaque também na especialidade da dermatologia. Segundo dados da Sociedade Brasileira de Dermatologia – Secção RS (SBD-RS), o câncer de pele não-melanoma é o mais frequente no Brasil e no estado. Nacionalmente, ele representa 30% de todos os tumores malignos registrados. Quando detectado precocemente, apresenta maiores chances de cura, assim como o câncer de pele melanoma. Embora seja mais grave, a patologia pode ser tratada e apresenta grandes chances de sobrevida quando detectada no estágio inicial.

Urologia

Segundo o médico urologista, Herbert Sauer, o envelhecimento da população brasileira, tem feito com que os números de casos de câncer de próstata sejam, cada vez mais, significativos. Por outro lado, o tratamento com antecedência da doença tem permitido a realização de procedimentos menos invasivos, com taxas de cura cada vez maiores e associadas a complicações menos frequentes.

Redação: Marcelo Matusiak
Coordenação: Marcelo Matusiak

 

  • Cirurgias mais eficazes
    (Marcelo Matusiak)

  • Prevenção ao câncer de pele
    (Marcelo Matusiak)

  • médico cirurgião do aparelho digestivo, Juliano Chibiaque
    (Marcelo Matusiak)

Leia também...

20.05.2020

A Pandemia e seu Legado no Brasil

Opinião: Professor da UFRGS e Membro Titular da Academia Sul-Rio-Grandense de Medicina, Gilberto V. Barbosa

19.05.2020
Benefícios para o associado AMRIGS na pandemia

Associativismo

02.04.2020
Um olho no vírus, outro no limite

Artigo: J.J Camargo

01.04.2020

Novas ferramentas e muita tecnologia na luta contra o câncer

Inovação

Entre em contato