Capa

AMRIGS Press Releases

Doação de sangue é fundamental em tempos de pandemia

Associação Médica do Rio Grande do Sul reforça apelo para que quem puder, doe sangue

13.05.2020  |  396 visualizações

A doação de sangue é fundamental sempre, mas em tempos de pandemia, torna-se ainda mais relevante. Um lembrete importante é que a necessidade de sangue é contínua. Porém, com o distanciamento social as doações diminuíram muito, o que pode provocar uma baixa nos estoques, prejudicando a população que precisa.

É fundamental salientar que, o ato de doar sangue não aumenta o risco de contaminação pelo coronavírus e as instituições que recebem os doadores estão altamente preparadas para tomar todas as medidas preventivas em relação à COVID-19.

Entre as recomendações estão:

1) Agendar a sua doação por telefone ou internet ao invés de procurar o banco de sangue e doar por ordem de chegada;

2) Procure escolher o banco de sangue mais próximo da sua casa ou que esteja mais próximo do seu trajeto diário para evitar exposições;

3) Manter as medidas de proteção como o uso de máscaras, mangas longas, higienização constante das mãos e manter uma distância de no mínimo dois metros das outras pessoas;

4) Recomenda-se a lavagem das mãos ao entrar e sair do Serviço de Hemoterapia. Álcool em gel, água e sabão são disponibilizados no local.

O diretor Científico e Cultural da AMRIGS, Marcos Vinícius Ambrosini Mendonça, reforça que, além das regras usuais solicitadas pelos bancos de sangue conforme o Ministério da Saúde (1), em tempos de pandemia, o MS, em nota técnica traz as seguintes contraindicações de doação em relação aos pacientes sintomáticos respiratórios e COVID-19:

Quem não pode doar:

- Candidatos à doação de sangue que tenham se deslocado ou que sejam procedentes de países com casos autóctones confirmados de infecções pelo SARS­CoV­2 deverão ser considerados inaptos por 14 dias após o retorno destes países. Para este critério, considerar as informações disponibilizadas pelo Ministério da Saúde;

- Candidatos à doação de sangue que foram infectados pelos vírus SARS­CoV­2 após diagnóstico clínico e/ou laboratorial deverão ser considerados inaptos por um período de 30 dias após a completa recuperação (assintomáticos e sem sequelas que contraindiquem a doação);

- Candidatos à doação de sangue que tiveram contato, nos últimos 30 dias, com pessoas que apresentaram diagnóstico clínico e/ou laboratorial de infecções pelo vírus SARS­CoV­2 deverão ser considerados inaptos pelo período de 14 dias após o último contato com essas pessoas;

- Candidatos à doação de sangue que permaneceram em isolamento voluntário ou indicado por equipe médica devido a sintomas de possível infecção pelo SARS­CoV­2 deverão ser considerados inaptos pelo período que durar o isolamento (no mínimo 14 dias) se estiverem assintomáticos.

Referências:

1 https://saude.gov.br/saude-de-a-z/doacao-de-sangue

2 NOTA TÉCNICA Nº 13/2020­CGSH/DAET/SAES/MS emitida em 20/03/2020

http://portal.anvisa.gov.br/documents/2857848/5624592/SEI_MS+-+0014052636+-+Nota+T%C3%A9cnica+13.pdf/eb3aad9b-2ddb-4c15-b979-8aec2a6e331b

Redação: Marcelo Matusiak

Coordenação: Marcelo Matusiak

  • Doação de sangue
    (Freepik)

Leia também...

11.08.2020

AMRIGS apoia projeto Expresso Cultural Móvel

Objetivo é levar música e cultura para população de um jeito diferente

06.08.2020

Palestra online da AMRIGS aborda a obesidade em tempos de coronavírus

Evento falou sobre riscos da doença e a importância de tratá-la, além de apresentar um exemplo de superação

05.08.2020

Em reuniões online, Comissão Organizadora ajusta detalhes para aplicação da Prova AMB/AMRIGS 2020

Prova teve sua data confirmada para o dia 22 de novembro

03.08.2020

Obesidade pode resultar no aumento da morbidade e da mortalidade por COVID-19

Tema estará em pauta no Ciclo de Palestras AMRIGS que será realizado por meio virtual

Entre em contato