Capa

SBD-RS Press Releases

Queda de cabelos e acne são sintomas que podem estar relacionados ao uso dos anticoncepcionais

Alerta é que por conta do cenário de distanciamento social, muitas mulheres podem estar postergando uma avaliação sobre esses problemas

06.08.2020  |  348 visualizações

A queda de cabelos relacionada à parada do anticoncepcional é denominada de eflúvio telógeno agudo e dura cerca de três meses, pela falta do estrógeno, que prolonga a fase de crescimento dos fios, tendendo à estabilização logo após. Pode ocorrer também piora da oleosidade da pele e do couro cabeludo, de duração variável ou mesmo permanente.

“Os anticoncepcionais orais contêm hormônios que podem ser combinados, isto é, compostos por um estrogênio e um progestágeno ou ainda, somente o segundo (chamados de minipílula). Estes dois hormônios podem apresentar-se em dosagens iguais (pílulas monofásicas) ou em combinações diversas ao longo do ciclo (multifásicas). Além disso, a diferença entre os produtos também é o tipo de progestágeno e as doses de estrogênio (sempre etinilestradiol). Há dispositivos intrauterinos contendo progestágeno, bem como outros métodos, como injeções, anel vaginal, implantes e adesivos que entregam hormônios para sintomas do climatério. Assim, todas estas variações devem ser consideradas quando a paciente queixa-se de alterações dermatológicas relacionadas ao hiperandrogenismo, como queda de cabelos, pelos indesejados e acne - tanto quanto estes quadros durante o uso dos mesmos quanto ao tratamento destas condições”, explica a vice-presidente da Sociedade Brasileira de Dermatologia – Secção RS, Clarissa Prati.

O uso de esteróides que podem ser sintéticos ou naturais também é um aspecto que merece atenção, segundo a médica.

“Progestágenos de alto efeito androgênico, como o levonogestrel, o desogestrel e o gestodeno, podem piorar ou desencadear queixas relacionadas ao hormônio masculino em pacientes com sensibilidade aumentada aos andrógenos, como a acne e a alopécia androgenética feminina (calvície), onde há queda e afinamento capilar progressivo, mesmo que em doses baixas, como é o caso do DIU. Alterações similares também podem ocorrer durante a reposição hormonal para o climatério e menopausa”, completa.

Segundo a médica, por outro lado, há progesteronas de ação antiandrogênica que reduzem a ação da testosterona e, consequentemente, sua contribuição com as lesões inflamatórias da acne e o afinamento dos fios. Exemplos deste tipo de hormônio são drosperinona, clorladinona e ciproterona.

Assim, a escolha de terapia hormonal nas diferentes fases de vida devem levar em conta, sempre, as características em conjunto da paciente e suas necessidades globais e devem sempre ser avaliadas junto com o médico.

Redação: Marcelo Matusiak
Coordenação: Marcelo Matusiak

 

  • Queda de fios pode estar associada aos anticoncepcionais
    (Marcelo Matusiak)

Leia também...

27.09.2020

Palestras destacam diagnóstico moderno e preciso de doenças dermatológicas

Evento da Sociedade Brasileira de Dermatologia - Secção RS começou na quinta-feira e prossegue ao longo da próxima semana

24.09.2020

Dermatites e questões estéticas pautam primeiro dia da 45a Jornada Gaúcha de Dermatologia

Evento é uma iniciativa da Sociedade Brasileira de Dermatologia - Secção RS

16.09.2020

Dermatologistas apresentam pedido de inclusão de novo procedimento em rol de coberturas do IPE Saúde

Pedido de inclusão do serviço de Fototerapia foi encaminhado ao IPE Saúde

15.09.2020

Sociedade Brasileira de Dermatologia - Secção RS debate com CREMERS exercício ilegal da medicina

Tema foi abordado com presidente recentemente eleito para o Conselho Regional de Medicina do Estado do Rio Grande do Sul (CREMERS)

Entre em contato